quinta-feira, 21 de maio de 2009

Under My Umbrella

Amizade pra mim é uma das coisas mais importantes da vida de uma pessoa. Sem amigos, a vida não tem a mesma graça nem a mesma cor. Amizade é amizade e coleguismo é coleguismo, não se enganem. Amizade é algo muito mais profundo e valioso. As bases para cultivá-la e fazê-la sempre crescer e florescer são a confiança e o respeito mútuo. Sem isso, ela não existe, podem ter certeza. Pode ser amigo-irmão, amigo-primo, melhor amigo, amigo virtual... O que importa é a amizade ser sincera.

A amizade verdadeira nunca morre, independente do tempo, da distância e de fatores ocorridos ao longo do tempo. Se uma amizade morreu, é porque não era verdadeira, apenas algo ilusório e/ou passageiro.

É amigo aquele que não só ri com você como também chora, que está com você em todos os momentos; que está sempre pronto a te ajudar, a te ouvir, a te dar um conselho, abrir os seus olhos quando necessário. É amigo aquele que vai com você nos mais variados lugares, mesmo que odeie aquele ambiente, que te acompanha nos programas de índio, consegue divertir com você e ainda volta rindo pra casa.



É amigo aquele que olha fotos antigas e ri lembrando-se com carinho dos bons momentos e situações tragi-cômicas pelas quais vocês passaram juntos. É amigo aquele que te abraça forte quando te vê depois de muito tempo e que fica feliz quando está com você. É amigo aquele que já se sacrificou alguma vez por você, e você por ele; que tira fotos com você mesmo odiando sair em fotos.

É amigo aquele que chora de tanto rir com você, que te diverte e que se diverte com você. É amigo aquele que, mesmo tendo opiniões diferentes, respeita sempre e tenta entender a sua. É amigo, também, aquele que é diferente de você em tudo, mas que ao mesmo tempo é igual; é aquele que só te olha e vocês se entendem, sem sequer pronunciarem uma palavra.

É amigo aquele que te apoia apesar de não concordar com a sua decisão. É amigo aquele que discute e até briga com você, mas que logo depois já está rindo daquilo tudo, é aquele com quem você não consegue ficar brigado, e nem ele com você. É amigo aquele que consegue ler você, sabe como você está só de te olhar, de te ouvir; te entende quase que por completo.




É amigo aquele que, mesmo que não possa estar presente, nunca se esquece e sempre se preocupa com você, que, embora esteja distante, faz-se presente.

Amigo é também uma alma gêmea, por que não? Uma pessoa com quem você se identifica, tem intimidade, sente-se à vontade, gosta de estar junto, sente saudade e ama. Amor entre amigos, muitas vezes, é mais forte que amor entre amantes e irmãos. É, talvez, algo inexplicável, porém incrível.



Ser amigo é saber valorizar, respeitar e passar confiança a quem você estima. Se você quer ter alguém como amigo, seja primeiro você um amigo, e seja sempre verdadeiro. Eu valorizo demais a amizade, sei a importância e a diferença que ela faz na vida de uma pessoa. Pode ser clichê, mas amigos são a família que escolhemos. Então escolha bem seus amigos, não saia por aí confiando nem chamando de amigo qualquer um com quem você simpatizou. Afinal, quem vê cara não vê coração e família é algo que se leva pro resto da vida. Nada de ficar cercada de falsos amigos. Prefiro sempre os poucos e bons, aqueles que sei que são meus amigos pra valer, a qualquer hora, de qualquer jeito.
Por coincidência, a minha sorte de hoje do orkut é "Amigo é aquele que conhece e ama você como você é". E é verdade. Porque só quem consegue te amar apesar de todos os seus defeitos e podres é a sua mãe e talvez alguns parentes mais próximos. Saber amar acima dos defeitos - isso é que é amar de verdade.

Texto escrito para o Blorkutando.

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Sobre Mentiras + 1 Ano de Blog + Oasis

1) Sobre Mentiras
Existem vários tipos de mentira: a mentira conveniente, a mentira necessária, a mentira desnecessária, a mentira deslavada (que também pode ser chamada de mentira cara de pau), a mentirinha, a mentira sem motivo, a auto-mentira, entre muitas outras.



A mentira conveniente serve para os momentos em que seremos prejudicados, ou prejudicaremos alguém, caso falemos a verdade. A mentira necessária se parece muito com a conveniente, pois ambas têm o mesmo propósito. Tive uma amiga que não é mais, devido a problemas, que não vêm ao caso, relacionados à falsidade dela que vestia-se mal, tanto pelo fato de grande parte de suas roupas não serem bonitas quanto pelo fato de que não combinavam com seu corpo e ela não sabia combiná-las. Ela me pedia opiniões sinceras depois que escolhia uma roupa e a vestia, e eu dava, eufemicamente, mas dava. Afinal, se eu não fosse amiga de verdade, sim, eu a deixaria sair com uma roupa estranha. Mas ela estava se achando linda daquele jeito e sempre reclamava quando minhas opiniões eram negativas. Então, para evitar brigas e discussões, comecei a mentir sobre suas roupas – passei a dizer que estava sempre muito bem. Foi necessário. Já a mentira desnecessária é aquela que utilizamos de forma falsa, sem necessidade, como, por exemplo, dizer que uma pessoa está linda, quando na verdade achamos que não está, só para puxar o seu saco. Completamente desnecessário, não é?

A mentira deslavada é aquela que dá raiva, aquela cara de pau, que está na cara que é mentira, mas a pessoa insiste em continuar pronunciando palavras mentirosas. Não entendo isso, acho idiota. A partir do momento que as outras pessoas obviamente sabem que você está mentindo, provavelmente para se safar de alguma merda que fez, não é preciso mentir. Chega a ser ridículo, na minha opinião. A mentirinha é aquela mentira boba que sempre contamos simplesmente porque ela não faz mal a ninguém; muitas vezes por termos vergonha de algo ou para evitar um problema.

A mentira sem motivo é o tipo de mentira problemática dos mentirosos compulsivos. Eles mentem sobre quase tudo, sem motivo, só por mentir. Às vezes chega a ser doentio. Conheci uma pessoa desse tipo, que mentia o tempo todo sobre tudo. O pior é que todos já sabiam que ela era mentirosa e ela continuava mentindo. Tudo bem, acho que ela tinha problemas de auto-estima, mas mesmo assim não é preciso mentir tanto. Ela cometia todos os tipos de mentira todos os dias. Todo mundo descobria depois que era mentira e ria, mas não falava nada com ela, porque sabia que ela tinha algum problema com a verdade.


Bom, a auto-mentira é um caso à parte. Como disse Renato Russo “mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira”. E concordo que é mesmo, porque muitas vezes nos deixamos cegar por uma mentira inventada por nós mesmos, dentro de nosso (in) consciente. Mentimos para nós mesmos quando a verdade é muito dura, quando não conseguimos suportar a verdade, ou pensamos que não conseguimos. Este tipo de mentira ocorre em vários casos, mas sua ocorrência mais comum é quando estamos apaixonados, pois sempre inventamos desculpas, para nós mesmos, para justificar erros, sacanagens e descasos do outro.

Todos nós já utilizamos todos os tipos de mentira, e sempre tentamos justificá-la de alguma forma. Mentira, na minha opinião como boa sincericida que sou, nunca é uma coisa boa; sempre prefiro dizer a verdade, porque não há mentira que perdure. Entretanto, nem sempre é possível, pois falar a verdade às vezes pode nos prejudicar e prejudicar outras pessoas. Desse modo, precisamos ser flexíveis em relação à mentira, saber mentir direito na hora certa, de maneira certa, sem prejudicar ninguém, muito menos você mesmo. Mas mentir o tempo todo, sem motivo, não vale a pena. Como já diziam nossos avós, mentira tem perna curta e, muitas vezes, curtíssima.

Texto escrito para o Blorkutando.

2) 1 Ano de Blog
Dia 5 de maio o ~ Pensamentos Ao Vento fez seu 1º ano! 1 ano de blog, quem diria! Quando o criei, foi com o intuito de me expressar sem censura, escrever tudo o que penso e que não posso sair por aí dizendo porque as pessoas não me entendem. Além, é claro, de ter uma distração, porque adoro escrever sobre temas aleatórios a hora que quero, sem determinação, e também adoro mexer com códigos HTLM podem me chamar de nerd e coisinhas de internet. Sempre adorei blogs. Já tive, se não me engano, 4 antes deste; um de gifs que eu mesma fazia, inclusive. Gifs amadores pré-adolescentes, com frases e desenhos pré-adolescentes, mas eram fofos, vá.



Eu não esperava que o blog fosse me trazer tantas coisas além de poder me expressar abertamente. Ganhei dois amigos, todas um ainda virtual e outra não mais, como vocês que me acompanham já sabem, e outras pessoas em potencial para amizade. O blog ainda me despertou uma vontade ainda maior de escrever e me fez ver que outras pessoas pensam como eu, o que me deixa muito feliz, pois agora tenho certeza que não sou a única do-contra que adora um assunto polêmico no mundo. Vira e mexe encontro críticas aqui nos comentários, que também são importantes para a minha formação de opinião e a dos outros também, afinal não só de elogios são construídos um modo de pensar e um caráter. Aprendi a lidar melhor com as críticas (educadas e cordiais, é claro. Nada de ficar xingando, meu blog não é feira) e a criticar melhor também. E, aproveitando, quero agradecer a todos os blogueiros que acompanham o meu blog desde o início e os que começaram a acompanhar há pouco tempo, que gostam dos meus textos, que me elogiam e que me criticam, e que comentam aqui. Opiniões diferentes estão aí para isso. Obrigada a todos por fazerem do meu blog um cantinho mais acolhedor e divertido!

Agora, mesmo sem ter muito tempo para postar, não consigo mais viver sem ele! Sempre que não consigo postar devido à falta de tempo e ao cansaço extremo cérebro, fico pensando no blog aqui abandonado. Não gosto de deixá-lo assim, mas às vezes não tem como. Queria, inclusive, ter comemorado o aniversário dele no dia 5 mesmo, mas tive problemas de saúde essa semana e não estava em condições de fazê-lo. Como presente, meu blog ganhará uma nova roupinha com um novo título, que ainda vêm por aí, em breve. Parabéns para o ~ Pensamentos Ao Vento!

3) Oasis
Ontem fui ao show do Oasis, minha banda favorita junto com Jamiroquai, que teve aqui no Rio. Estou emocionada e entusiasmada até agora! Fiquei super frustrada de não ter conseguido ir no último show que eles fizeram só em São Paulo há uns anos e, quando fiquei sabendo que eles voltariam ao Brasil, corri pra comprar o ingresso! Dia 30/3 eu já estava com o ingresso em mãos. Foi um show perfeito! Pra mim, faltaram ser tocadas 3 músicas, mas mesmo assim foi totalmente maravilhoso! =D

Uma coisa no show que me chamou atenção foi que grande parte das pessoas não sabiam cantar quase música nenhuma, só a mais clássica de todas, Wonderwall, e a música-tema do Maumau e da Taíssa em Malhação OK, super desenterrei agora hahaha. Mas o fato é: por que aquelas pessoas pagaram tão caro no lugar mais barato – a pista – para assistir a um show sem saber cantar praticamente música nenhuma e mal se mexendo? Sim, havia pessoas que nem se mexendo estavam. Pra mim estava claro que não estavam curtindo o show, mas enfim né... Quer gastar dinheiro, gasta. Pelo menos gastou com uma coisa excelente.


Eu, como sempre, pulei e cantei muito no show, a-do-rei! Tirei algumas fotos do palco, mas, como eu estava longe e a câmera do meu celular não tem zoom, não ficaram muito boas. Porém guardarei todas eternamente como lembrança de um dia e de um show perfeitos! O vídeo que gravei quando eles cantaram Champagne Supernova, uma das minhas músicas favoritas, ficou com o som ótimo! Fiquei muito feliz quando vi! favoritas, ficou com o som ótimo! Fiquei muito feliz quando vi! O Liam Gallagher estava lindo como sempre, apesar do macacão horrível que estava vestindo, fazendo aquela pose inclinadinha linda enquanto cantava ao microfone e com a voz sexy como sempre! Ui. Realizei um sonho indo ao show do Oasis! *-*

07/5/2009 é mais um dia para entrar na minha história.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Há Que Se Ter Sorte

Alguns nascem com o bumbunzinho virado para a Lua; outros, com o bumbunzinho virado para Plutão. Creio que o famoso Murphy criou a sua Lei para equilibrar a sorte e, principalmente, o azar.

Nunca, mas nunca mesmo, consegui me dar bem em uma prova de múltipla escolha em toda a minha vida – quase sempre fico em dúvida entre duas respostas, e sempre, fato, marco a errada. Dá muita raiva quando uma pessoa burra tira uma nota maior que a minha porque a prova é de múltipla escolha e ela teve sorte de chutar as respostas certas, porque obviamente não sabia nada, não estudou.

Sabem aquele ditado azar no jogo, sorte no amor? Então, pra mim ele não dá certo e está errado, porque tenho azar nos dois. Minha mãe tem olhos azuis e meu pai tem olhos castanhos. Adivinhem quais olhos eu puxei? Os do meu pai, é claro.

Desde que comecei a estudar e a fazer liçõezinhas na escola, sempre fiquei na pior turma, a mais bagunceira, a que tinha os alunos que eram convidados a sair da escola, a que todos os professores reclamavam; e sempre fui a aluna que destoava da turma em alguns, ou vários, aspectos. E isso não ia mudar só porque entrei na faculdade, não é? Como isso é possível? Murphy.

Nunca ganhei nada em sorteio, a não ser um CD de música evangélica infantil uhull na Igreja, quando eu ainda a frequentava. E o mais bizarro de tudo é que, por mais que eu não estivesse nem aí para aquele CD, foi sorte mesmo, porque foram sorteados 4 números que não tinham donos antes do meu.



Entretanto, apesar disso tudo, acho que a sorte é algo muito relativo. O que é sorte pra mim, pode não ser pra você, e vice-versa. Há pessoas que dizem que mesmo que a sua vida esteja um lixo, você tem sorte de estar vivo. Vai dizer isso pra uma mendigo que passa fome, frio, calor, é maltratado por playboys que não têm o que fazer e droga-se pra tentar amenizar a situação? Ele não tem sorte de estar vivo, gente, venhamos e convenhamos. Para mim, ter sorte de estar vivo é quando você tem uma vida razoável e, mesmo que aconteçam coisas ruins nela – o que é normal -, tem a possibilidade de melhorá-la, o que não procede no caso do mendigo.

Não sou uma pessoa supersticiosa. Não acredito que pé de coelho, ferradura, trevo de quatro folhas, figas, fitinhas do Bonfim e um número qualquer vão dar sorte, nem que passar por gato preto, embaixo da escada, que quebrar um espelho e que sexta-feira 13 dão azar. Mas acredito que se você acreditar com toda a sua força que algo dá sorte, é bem possível que, em realidade, te dê sorte, tanto que existem roupas cuecas e calcinhas da sorte. As pessoas acreditam que sempre que usarem aquela roupa terão sorte, e isso realmente ocorre, apesar de não ser por causa da roupa. É uma espécie de efeito placebo: você acredita que algo cura e acaba curando mesmo.



O fato é que a sorte e o azar existem, sim, e não dependem só de você e da sua vontade. É disso que sobrevivem os chamados jogos de azar. Às vezes você é mais atingido por um, outras vezes, por outro. Acho que, além de você se esforçar, tem que ter sorte na vida, senão seu esforço não é, infelizmente, tão valioso. Você pode ter sido o 1º aluno da sala desde que aprendeu a ler, ter feito mestrado, doutorado, pós-graduação, vários cursos e mesmo assim não conseguir um emprego tão bom. Conheço casos do tipo. Isso é azar. Há quem nasça com e quem nasça sem. Pode não ser justo, mas é a vida. Não basta ser inteligente e esforçado, tem que ter sorte na vida. Sorte é uma coisa fundamental para todo mundo. Tem mais sorte quem, apesar de seus eventuais problemas, é verdadeiramente feliz.

Texto escrito para o Blorkutando.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...