quarta-feira, 30 de julho de 2008

Finais mal acabados


O assunto de hoje ainda é cinema. Mas vou falar sobre os finais dos filmes.

Tudo começou quando eu fui ontem no cinema com uma amiga ver ‘Do Outro Lado’, um filme turco-alemão-italiano cuja sinopse é:

Nejat não queria aprovar o relacionamento de seu pai com uma prostituta, Yeter. Mas ela é uma boa mulher. E ele descobre que Yeter envia constantemente dinheiro para a Turquia, a fim de pagar os estudos da filha. Mas Yeter morre inesperadamente. Nejat decide viajar a Istanbul para procurar a jovem. É quando fica sabendo que Ayten fugiu da polícia turca e está na Alemanha. Nejat fará de tudo para encontrá-la, mas vai enfrentar muitas dificuldades.

Parece interessante, não? Sim, e é. Por ser europeu, o longa não é super agitado, mas tem a agitação necessária para o filme ser interessante e fazer seus olhos se fixarem na tela. Na verdade, a prostituta Yeter é morta acidentalmente pelo pai de Nejat quando estava bêbado e ele é preso por isto, fazendo com que seu filho fiquei com raiva e pare de falar com ele, até depois que sai da prisão.

O filme mostra a busca de Ayten (filha da prostituta) pela mãe, enquanto é perseguida por seus ideais revolucionários, ao mesmo passo que a mãe sente saudades dela e o pai de Nejat sofre um enfarte. Nesse meio tempo, Ayten foge para a Alemanha, conhece Charlotte (com quem tem um caso homossexual), vai morar com ela, é reconhecida pela polícia alemã como revolucionária turca, é julgada, presa e deportada para a Turquia. Charlotte vai para a Turquia a fim de ajudar Ayten e a mãe lhe suspende as ajudas financeiras - pois não aprova a filha largar os estudos para ir atrás de uma mulher que mal conhece. Nessa situação, ela conhece Nejat e aluga um quarto em sua casa, sem saber que o mesmo está à procura de Ayten para ajudá-la com os supostos estudos.



Enfim, o filme é feito de muitos encontros e desencontros entre Nejat e Ayten, ou seja, ficamos o filme todo esperando pelo encontro dos dois. E cadê que ele acontece? Pois é, ele não acontece!!
(Ah desculpa, gente, vou ter que contar o final. Saber o final nunca me fez perder a vontade de ver um filme.)
O filme termina com Nejat sentado na areia esperando o pai voltar da pescaria. Sentiu-se arrependido por ter tirado o pai de sua vida e resolveu procurá-lo para fazer as pazes. Quando chegou onde o pai estava morando, uma senhora lhe falou que estava pescando. Então resolveu esperar sentado na areia. É assim mesmo que termina o filme! Fica a cena dele sentado na areia e ele nem sequer se mexe! Um dos piores finais que já vi. Poxa, pelo menos mostrasse o encontro dele com o pai né, mas nem isso. O que eu e todo mundo no cinema esperávamos era que Nejat e Ayten se encontrassem no final. Eu e minha amiga ficamos revoltadas. Quando a cena do Nejat sentado na areia apareceu na tela e percebemos que aquele era o final, ela olhou pra mim com uma cara de espanto e falou “esse é o final?!”. Aí eu falei “tá de sacanagem que esse é o final né!”. Pois é, era o final. Acho que todo mundo ficou revoltado também, porque todos continuaram na sala mesmo com o cara parado, sentado na praia. Estavam todos esperando um final melhor, lógico, mas não foi o que o diretor quis nos proporcionar. E quem falar que esse final foi genial e que o autor/diretor ou quem quer que seja é um gênio, apanha! Detesto gente cult que acha que sabe sobre cinema e fica inventando coisas para se mostrar muito inteligente. É óbvio que no final Nejat fez as pazes com o pai e, ao voltar pra casa, encontrou Ayten lá e começou a ajudá-la, mas poderia ter mais coisas também. Eu, por exemplo, acho que seria legal que os dois terminassem juntos. Tem vários complementos para o final, mas o diretor resolveu deixar apenas por conta da nossa imaginação. Alguém diz pra ele que a gente vai ao cinema pra VER?! Se eu quisesse imaginar, estaria em casa lendo um livro em vez de gastar dinheiro indo ao cinema.

Todos os meus filmes favoritos possuem bons finais - na minha opinião, claro. Se o filme inteiro for bom e o final for péssimo, pra mim, perde o encanto. O final é o desfecho do filme, é uma parte crucial dele. Portanto, este precisa ter conteúdo também. Eu queria lembrar de alguns filmes com o final ruim para citar aqui, mas só consigo lembrar dos que achei ruins. Até quando eu gosto de um filme, às vezes não lembro direito como ele é, só me lembro de algumas partes e de que gostei. Quando o filme é ruim então, aí mesmo que não lembro, só lembro que não gostei mesmo e as piores cenas.

Selinhos!
A Princesiiinha me deu mais um selinho, o Prêmio Dardos! Ele não tem nada escrito, mas acho ele lindo e expressivo. Muito obrigada! Adoro saber que você gosta do meu blog :)




Com o Prêmio Dardos se reconhecem os valores que cada blogueiro mostra cada dia em seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. Que em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras.
O Prêmio Dardos tem certas regras:
1. Aceitar exibir a distinta imagem.
2. Linkar o blog do qual recebeu o prêmio.
3. Escolher quinze 15 blogs para entregar o Prêmio Dardos. (nossa, quanto blog! Haha)

Agora tenho que repassar esse ‘Prêmio Dardos’ para 15 blogs, então lá vai:

Nadezhda
Dama de Cinzas
Nathália
Aninha
Tiago
Maldito
Jéssica
LP
Igor
Lays
Nega
Flávia
Marii
Camilla
Ariana


A Ariana me deu um selinho também! Muito obrigada, linda!



Repassando para:
T.
Jeniffer
Nina

Update
A Nega me passou mais um selinho - Blog de Ouro - também, mas como eu já tenho, não vou postá-lo de novo aqui, só vou agradecer pela indicação. Muito obrigada, viu? :)

domingo, 27 de julho de 2008

“Ninguém vive a paixão impunemente.”

Vi “Nome Próprio” hoje (sábado) e adorei. Achei que teria mais a ver com o mundo blogueiro quando vi o trailer, mas gostei da abordagem dada aos blogs, mostrando como estes podem afetar a vida das pessoas. Se antes de ver “Nome Próprio”, eu já gostava da Leandra Leal, agora gosto ainda mais. Ela se supera a cada trabalho, e admiro a coragem dela em expor tanto o seu corpo, que mesmo não sendo perfeito possui a sua beleza, como agora. Ela se entregou totalmente de forma física e mental no papel de Camila, tornando-a humana. O filme tem muitas cenas de sexo (quase ou) explícito e outras – muito bem feitas por sinal – que deixam por conta da nossa fértil imaginação. Muitos vão achar o filme sem graça, porque só quem já passou por algo que a protagonista já passou ou que pensa e/ou sente como ela consegue entender completamente a intenção do filme. Muitos outros vão achar o filme excessivo, mas de excessos é feita a intensidade; e eu adoro tudo o que é intenso. Por isso gostei muito do filme, me identifiquei com certas partes dele e até um pouco com a Camila, excetuando-se os fatos dela beber, fumar, se drogar, ser porra-louca, ser super impulsiva e ter uma vida completamente instável. Ok, do jeito que descrevi parece que não tenho nada a ver com a personagem haha. Assim como ela tem um lado que considero um tanto quanto estranho (que inclui atitudes que não acho nada legais), ela também tem um lado muito humano que me agrada. É essa mistura que torna Camila uma personagem tão intensa e tão diferente de outras que já vi.

O filme mostra instabilidade emocional, paixão, (muito) sexo, sofrimento, ilusão, desejo e amizade; como tudo isso se mistura na vida de uma pessoa. Ao mesmo tempo que Camila quer viver uma grande e intensa paixão, ter um porto seguro, alguém para dividir a sua vida, também quer ser livre, ter liberdade para seguir seus impulsos e desejos momentâneos sem ser cobrada depois. E sofre com tudo isso, até porque ninguém vive a paixão impunemente.

O longa é repleto de frases prontas, claro, umas fracas e outras muito boas. Algumas me chamaram mais atenção, mas não me lembro de todas. As que lembro e as que encontrei pela internet:

"Ficção não acontece contigo o tempo todo? Então me reescreve."

"O problema é que eu fico achando que caos é ordem."

“Nada me resta
senão me perder em você, senão morrer um pouco, senão gozar sem saber do que se goza.”

Queria lembrar das outras de que mais gostei, mas ainda não consegui. Caso me lembre, posto num update do post.



Sinopse
Nome Próprio conta a história de uma jovem mulher que dedica a vida à sua paixão, escrever. Camila é intensa, complexa e corajosa. Para ela, o que interessa é construir uma trajetória como ato de afirmação. Sua vida é sua narrativa. Construir uma existência complexa o suficiente para se escrever sobre ela.

Nome Próprio é um filme sobre a paixão de Camila. De sua busca por redenção. Quer a literatura como ato de revelação. Para tal, cria vínculos. Carente, os destrói. Por excesso. Por apego. Por paixão.

Nome Próprio é o olhar sobre uma personagem feminina que encara abismos e, disso, retira a força que necessita para existir. Para Camila, a vida floresce das cicatrizes de seu processo de entrega absoluta e vertiginosa.

Vale a pena ver. Eu recomendo!

Mais e mais selinhos!

A Aninha me ofereceu mais este! Obrigada, mais uma vez!

E a Nadezhda me ofereceu estes outros. Muito obrigada pelos presentes! :)


Repasso os 3 selos agora para:
Igor
Lívia - como uma tentativa da minha querida amiga desabandonar o seu blog hehe
Solitude
Clécia

segunda-feira, 21 de julho de 2008

No inspiration.

Eu ia postar ontem, mas como estava sem inspiração, resolvi postar hoje. Acontece que também estou sem nenhuma inspiração hoje - deve ser a Lei de Murphy. Porém, não vou deixar o blog sem nada, abandonado. O post não está lá essas coisas hoje, mas está em tópicos para ficar mais organizado e bonitinho de ler.

Não podia deixar de comentar que fiquei ao mesmo tempo, feliz e meio espantada pelo meu post "Histórias de Ônibus" ter feito tanto sucesso! O povo adora ver a desgraça alheia! hahaha
Brincadeira. (6)
Mas que é engraçado ler quando não foi com você que aconteceu, é. Quando você já passou por algo igual ou parecido, aí é que você ri mais ainda e fala/pensa "caraaaaca, como assim?! não foi só comigo!". Isso é legal, sei lá. haha

Bem, era só isso mesmo que eu queria dizer. Aproveitem o post organizadinho! ^^

Beijos, gente!

1. Dia dos Amigos



Amizade é essencial à vida de qualquer pessoa. Sem amigos, não somos nada. Uma pequena citação que eu gosto muito que resume bem a amizade:

"Amigo é aquele que te diz eu te amo sem qualquer medo de má interpretação:
Amigo é quem te ama e ponto.
É verdade e razão, sonho e sentimento.
Amigo é pra sempre, mesmo que o sempre não exista."


(Marcelo Batalha)

2. Filmes Bobos de Agentes Idiotas
Já repararam que esse ano estão sendo lançados vários filmes de Agentes, imitando o 007? O problema é: os filmes do 007 já são super chatos, então as imitações são ainda piores.

"Agente 86", por exemplo, só de ler a sinopse e de ver o trailer, já dá pra ver que é ridículo. Nem quis ver no cinema.

Agora fizeram uma versão francesa também - "Agente 117". Não é só porque o filme é francês que ele é bom. Vi o trailer outro dia no cinema e não consegui rir de nenhuma das palhaçadas que foram mostradas no mesmo. Tosco.

E agora, qual será o próximo filme ridicularizando o Agente 007? Além disso, aposto que deve existir um filme pornô chamado "Agente 69". Algum homem quer ir numa locadora pornô conferir se existe e me falar depois? hahaha

Seria a maior decadência dessa saga de agentes.

3. Como assim a Dercy Gonçalves morreu?
Até agora não consigo acreditar que ela morreu. Sempre achei que ela fosse enterrar todos os brasileiros! hahaha

Mas é sério, é muito estranho saber que ela morreu. Ela era meio que o símbolo brasileiro da longevidade e irreverência na 3ª idade. Que velhinha famosa mais falava tanto palavrão com tanta naturalidade e convicção a não ser a Dercy? Nenhuma que eu conheça. Nunca fui, assim, fã dela, mas sempre ri muito com ela, desde criança. Ela vai fazer falta.

4. O texto
"Quando eu era criança, queria crescer logo, virar adulta. Tinha idéias fantasiosas de que um adulto podia tudo, desde dormir na hora que bem entendesse até não precisar ir ao dentista. Parecia o supra-sumo da liberdade. Mas um dia fazemos 18 anos e a partir de então não podemos dirigir sem carteira, não podemos nos isentar de votar e não podemos permanecer solteiros.

Não podemos reagir aos assaltos. Não podemos falar ao celular no carro. Não podemos fazer sexo sem camisinha. Não podemos fumar, não podemos beber, não podemos odiar fazer exercícios físicos. Não podemos nos descuidar.

Não podemos ficar fora de moda. Nem segui-la à risca. Não podemos sair à noite em segurança. Não podemos comer açúcar. Não podemos exagerar no sal. Não podemos atravessar fora da faixa de pedestre, não podemos ultrapassar a velocidade permitida, não podemos dar uma sumida.

Não podemos ficar tristes. Não podemos não falar inglês. Não podemos dizer mentiras. Não podemos dizer toda a verdade.

Não podemos negar um convite. Não podemos ser anti-sociais. Não podemos ser excessivamente honestos.

Quase todos os 10 mandamentos da igreja católica começam com não: não matarás, não roubarás, não cobiçarás a mulher do próximo, não pronunciarás o santo nome do Senhor em vão. Não. E também não falarás com estranhos, não poderás ser gordo, não estacionarás em fila dupla, não dormirás fora sem avisar, não colocarás o dedo no nariz, não esquecerás o aniversário de namoro, não te estressarás, não farás barulho depois das 22h, não entrarás no banco com coisas metálicas nos bolsos, não tomarás banho de sol das 10h às 15h.

Não podemos falhar. Eis aí um convite irrecusável para a transgressão."

(Martha Medeiros)


5. Meme
Só porque me deu vontade de fazê-lo. Não vou repassa pra ninguém. Quem quiser pegar para fazer, fiquei à vontade! Como o blog é meu e eu que respondi o meme, resolvi respondê-lo com músicas 4 artistas. É que não dá pra responder decentemente só com 1 artista. Para facilitar a vossa leitura, coloquei uma cor para cada artista e para suas respectivas músicas.

01) Você é homem ou mulher?
Candy Perfume Girl/Una Mujer/Girl They Won't Believe It/Morena

02) Descreva-se:
I’m So Stupid & Love Profusion/Genie In The Bottle/Victim Of A Foolish Heart/Cara Estranho

03) O que as pessoas acham de você?
Angel (hahaha)/Beautiful (ou não haha)/Some Kind Of Wonderful (exageeero)/Descoberta

04) Como descreveria seu último relacionamento amoroso?
Something To Remember/Falsas Esperanzas/Fell In Love With A Boy/A Flor

05) Descreva sua atual relação com namorado ou pretendente:
Love Don't Live Here Anymore/What A Girl Wants/Killing Time/Deixa Estar

06) Onde queria estar agora?
Hollywood/Contigo En La Distancia/Arms Of My Baby/De Onde Vem A Calma

07) O que pensa a respeito do amor?
Forbidden Love/Loving Me 4 Me/Bruised But Not Broken/Conversa de Botas Batidas

08) Como é sua vida?
Jump/Reflection/Don't Know How/Condicional

09) O que pediria se tivesse apenas um desejo?
Get Together/Somebody's Somebody/Don't Cha Wanna Ride/Deixa O Verão

10) Escreva uma frase sábia:
Notting Really Matters/Love Will Find A Way/Less Is More/Todo Carnaval Tem Seu Fim

Artistas: Madonna/Christina Aguilera/Joss Stone/Los Hermanos

6. Mais um selo!
Recebi mais um selinho, dessa vez da Nathália. Thanks ;)




Repassando para:

Igor
Nina (só pra você ficar feliz hehe)
Marii
LP


Update

Agora que eu vi que a Aninha me passou mais dois selinhos! Brigadão por todos os selos, linda! :D

Repasso estes para:

Nadezhda
Camilla
Tiago
Mary West
Ps: Não sei se vocês repararam, mas coloquei uma caixinha link-me ao lado no meu perfil, para quem prefere linkar com um button. Quem quiser pegar e colocar no blog, fique à vontade! :)

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Histórias de Ônibus

Todas as histórias que serão contadas neste post são verdadeiras, por mais que incrível que possa parecer. Vocês vão rir com as histórias, assim como eu mesma rio hoje em dia, mas na hora não foi engraçado. Hahaha
Depois deste post, vocês perceberão que eu tenho ímã pra gente estranha e maluca. Então divirtam-se!


Acontece sempre
Quando estou sozinha, nunca sento na janela. Por quê? Pra não ter que pedir licença na hora de saltar hahaha. Prefiro dar licença que pedir licença. Dependendo da pessoa, pode ser complicado sair depois. Também porque se um assaltante disfarçado entrar no ônibus, é muito mais fácil ele encostar uma arma na minha barriga eu estando na janela do que no “corredor”, já que ninguém vai ver, e me assaltar. Sim, eu sou neurótica. Mas enfim... a pergunta é: por que mesmo quando o ônibus está quase vazio, tem vários lugares vazios (até 2 bancos juntos), as pessoas insistem em sentar logo do meu lado se é muito mais difícil me pedir licença pra sentar na janela do que simplesmente sentar logo o rabo num banco vazio?! ¬¬
Acho que as pessoas olham para a minha cara e pensam “aah essa menina não quer que ninguém estranho sente do lado dela, então vou sentar só de sacanagem!”. Quando tem pessoas estranhas/suspeitas sentadas ao lado dos lugares vazios, eu entendo que não queiram sentar ali e queiram sentar do meu lado, porque eu tenho cara de ser uma pessoa normal (eu acho). Mas quando as pessoas não são estranhas nem suspeitas, não vejo motivo. É é, eu sou meio anti-social nos ônibus. Pra mim, ônibus é um lugar pra você se desligar do mundo ouvindo o seu mp3, pensando na vida, refletindo. Quando alguém senta do seu lado, acaba com parte da sua privacidade pensativa.

Os tarados indiscretos
Semana passada, entrei num ônibus daqueles que têm entrada para deficientes com cadeira de rodas. Por causa da porta por onde entra a cadeira, o ônibus fica com menos bancos, constatação óbvia. Pois é. Mas aí tive que sentar do lado de um velho, porque era o lugar vago mais perto e acessível que tinha. Foi só eu sentar que ele começou a me olhar dos pés à cabeça descaradamente! Mais da cintura pra baixo que pra cabeça, aliás... Detalhe: eu estava de calça jeans, tênis e casaco, não tinha nada de sexy. Só sei que ele ficou olhando o tempo todo pra minha coxa, como se eu tivesse de micro saia! Não sei o que ele tanto olhava. Tudo bem que eu tenho coxa grande, mas a calça ainda disfarçava! Ele devia estar me imaginando com uma lingerie vermelha rendada com uma cinta liga, só pode! Hahaha
Como os olhares nada discretos do velho estavam me incomodando, pulei para a cadeira ao lado, sentando do lado de um cara de terno quase dormindo. Ele ficou quieto na dele, que bom. Uns 2 minutos depois, sentou um cara de aproximadamente 50 anos no lugar que eu tinha acabado de sair. Aí ele começou a me olhar dos pés à cabeça assim como o velho ao lado dele que estava me olhando antes! É mole ou quer mais? Hahahaha

Encoxada da 3ª idade
Estava eu quietinha sentada num ônibus, quando um velho pede licença para sentar na janela (eu nunca sento na janela quando estou sozinha, como já disse acima). Aí tá, ele sentou. Foi só ele sentar, que já abriu bastante as pernas, como se ele tivesse um amiguinho enorme né...
Aproveitando a oportunidade: por que vocês homens adoram abrir tanto assim as pernas? Vocês acham que as mulheres vão pensar que o amiguinho de vocês é enorme só porque estão com as pernas escancaradas ou é só folga de vocês mesmo? É que sempre fiquei curiosa pra saber. Dica: não é bonito ficar com a perna tão aberta assim. Policiem-se e não apertem as pernas das mulheres quando se sentarem ao lado delas (a não ser que você queira dar uma bela encoxada e ela esteja de acordo haha). Nós não temos nada volumoso entre as pernas, mas também precisamos de espaço para elas, ok?!
Mas voltando ao assunto... o velho arregaçou as pernas do meu lado, invadindo parte do meu banco inclusive, e tive que apertar as minhas para conseguir sentar ali. ¬¬ Nisso, ele ficou encostando a perna dele de propósito na minha e dando umas olhadelas discretas com cara de safado!! Olha que abusado! Vê se pode!! Como se eu fosse dar alguma bola pra ele! Faça-me o favor né! Olhei pro lado com aquele olhar maligno tipo ‘desencosta AGORA!’ e afastei a minha perna. Bom, ele entendeu e desencostou um pouco. Um pouco. Abusado... por sorte, eu saltei alguns poucos minutos depois. Ele que vá encoxar a mãe dele!

Tagarela
Estava eu quietinha, sentada no banco do ônibus com o mp3 no ouvido, quando me senta uma senhora puxando papo. Acho que ela me perguntou algo e eu respondi. Depois que eu respondi ela cismou que eu queria conversar. Aí danou-se a falar! E eu monossilábica respondendo sempre ‘uhum...’ e ela não se tocava de que eu não estava afim de conversar com ela. Aí cansei do monólogo, pus de novo o fone no ouvido e fingi que não estava mais ali. Ela se tocou e parou de falar. Incrível essa arte de ignorar, não? (tá, essa história não foi interessante)

A sacoleira
Estava eu sentadinha no banco esperando chegar o meu ponto, pensando na vida, como sempre. Eis que entram duas mulheres berrando (argh) no ônibus; uma delas com umas 8 sacolas de supermercado. Adivinha do lado de quem a maledeta foi sentar? Do meu, claro! A amiga dela a chamou pra sentar do lado dela e sabe o que ela respondeu? “Ah não, eu quero ficar na janela!” Ahpaputaqueapariuporra! Ela me fez dar licença pra sentar com 856348390 sacolas, batendo algumas delas em mim, só porque queria sentar na porra da janela?! Ela é criança por um acaso?! Não, devia ter uns 60 anos já. Tosca. E sabem qual o pior? A maledeta resolveu sair pra sentar do lado da amiga 2 minutos depois, porque vagou um lugar na janela perto dela!! Ou seja, mais sacoladas na pobre Raíssa pra sair! [momento raiva]

Pai (muito) folgado
Estava eu sentada num daqueles bancos altos do ônibus, quando de repente entra um pai com 3 filhos e me pede licença pra sentar do meu lado!!!!!!!!³ Como assim ele quer sentar com 3 crianças não tão pequenas num único banco, e ainda do meu lado?! E o pior: vários lugares estavam vagos. Vá-ri-os! Inclusive com 2 bancos juntos! Pó, aquele cara acha que é quem pra ter prioridade pra sentar no banco alto? Que babaquice! Aí fiquei puta da vida com aquela criançada mal educada do meu lado (óbvio, com um pai desses, é impossível elas serem bem educadas. Depois dizem que a mãe é que não dá educação...), invadindo quase completamente o meu banco e me mudei dali pra outro banco. Puta da vida, repito. A minha vontade foi de mandar ele pra putaqueopariu junto com aqueles filhos chatos e dar um chuta na bunda de cada um deles. *Raiva, muita raiva!*


Bom, no momento só estou me lembrando dessas histórias. Se eu lembrar de mais alguma, faço um update.

Update:

Esse update não é pra contar histórias novas, mas pra postar e repassar novos selos que eu ganhei hoje da Aninha! :D
Muito obrigada, linda! Adorei os selos! :)





Repassando agora para:
Nathália
Vinícius
Flávia
Jéssica

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Tropa de Elite



Eu ia postar outra coisa, mas assim como o Vinícius, não pude deixar de tocar no assunto do João Roberto Soares, que se entrelaça ao da Polícia e da atual (in) segurança. Essas são apenas mais algumas revoltas para a enorme e interminável lista dos brasileiros.

Gente, como assim os policiais confundiram o carro dos bandidos armados com um carro com uma mãe e 2 filhos dentro?! Já tentei, mas até agora não encontrei nenhuma explicação plausível para tal ato brutal. A mãe até tentou se comunicar com os policiais, mas de nada adiantou, pois os mesmos metralharam – isso mesmo: ME-TRA-LHA-RAM – o carro! Porra, como policiais saem por aí metralhando qualquer carro assim sem saber quem está dentro?! Eles fizeram como auxiliares de enfermagem ruins que, ao tirar sangue de uma pessoa com veias pouco visíveis, saem furando o braço da pessoa sem a menor noção até achar uma maldita veia pra furar! (que bom que isso nunca aconteceu comigo e minhas veias são bem visíveis, porque eu tenho pavor de agulhas!) Faça-me o favor né! Responsabilidade e bom senso são coisas que eles desconhecem totalmente. Não consigo acreditar que eles não viram, mesmo que depois de um tempo, que estavam metralhando o carro errado. Nisso, morreu um menino inocente de 3 anos, uma mãe ficou cheia de estilhaços e, por um milagre, não aconteceu nada com o bebê de 9 meses. Como diria um professor de física que já tive “não estavam na lista”. E essa mãe e seu filho realmente não estavam, porque no meio daquele tiroteio cego, sobreviver é um milagre para agradecer o resto da vida. Já o menino de 3 anos não teve tanta sorte né? Ou teve, por estar num lugar melhor que esse mundo maluco em que vivemos. Mas isso não sabemos, pois não está mais entre nós. Eu não sou moralista nem nada, mas esse caso me revoltou.

Com isso, levantamos um outro assunto: que Polícia é essa que é contratada para manter a ordem e a nossa segurança? Essa parte do trabalho ninguém está vendo ser feita, muito pelo contrário. O que vemos são ruas cheias de mendigos, pivetes, assaltantes e muita insegurança, deixando as pessoas cada vez mais neuróticas e com mais medo de andar em lugares por onde anda há anos. E de quem é a culpa dessa situação catastrófica? O Governo tem boa parcela de culpa nisso tudo. Não proporciona treinamentos adequados aos policiais, não dá uma boa infra-estrutura para os mesmos trabalharem e blá blá blá. Mas a outra parte da culpa é, inclusive, dos próprios policiais.

Vivem reclamando de seu salário e o utilizam como desculpa para todas as besteiras que fazem. Oras, se fosse por causa de salário, professores não trabalhariam mais aqui no Brasil. Aliás, não só professores como muitos profissionais formados, como médicos (que todo mundo acha que ganha rios de dinheiro facilmente, mas a situação é bem diferente, minha gente), advogados (o mercado dos advogados no Brasil está tão saturado que daqui a pouco vão ter que suspender o curso de direito por alguns anos, senão mais nenhum advogado terá causa pra defender! haha), psicólogos, cientistas sociais, jornalistas, biomédicos, farmacêuticos, etc. Enfim, se fosse por causa de salário, muita gente não ia trabalhar na área em que gostam, e sim, numa área que rendesse dinheiro fácil. E, se existem pessoas que se tornaram policiais, foi por vontade própria, pois estas não foram obrigadas a tal, muito pelo contrário: muitas famílias de policiais tentam convencê-los a desistir da idéia de entrarem para a Polícia quando são comunicadas sobre. Quem decide se tornar policial, o decide sabendo o salário que irá ganhar e os riscos que irá correr, assim como todos os profissionais citados acima e muitos outros. Nestas circunstâncias, essa desculpa é anulada. Contudo, ainda assim ela é utilizada para justificar, também, a corrupção policial. Se todo mundo que ganha mal ficasse desonesto e trabalhasse mal, quase não haveria mais pessoas honestas no mundo e o mundo estaria perdido. O que seria do mundo sem professores, que são a base de todas as profissões? Está certo que muitos deles não sabem ensinar, mas isso ocorre em qualquer área, independentemente de salário; sempre existirão pessoas competentes e incompetentes, e pessoas que sabem e que não sabem ensinar. Além disso, existem profissionais ganhando menos que policiais, e nem por isso recorrem à desonestidade e ao desleixo no trabalho por isto. Continuam trabalhando honesta e arduamente em busca da melhora de salário e de vida.

Ter dívidas e “estar apertado” hoje em dia é a coisa mais normal no nosso país, então também não é desculpa para tais atitudes.


--------------------------------------------------------------------


Ps¹: Preciso falar sobre uma situação que vivenciei hoje e me deixou meio, digamos, bolada.

Uma mulher na rua falando pra mim:
- Nossa, você é tão novinha!
- É, eu tenho 19 anos.
- Ah, é? Mas parece que tem 14 anos!
¬¬

Ter cara de 15 eu até aceito, apesar de achar que tenho cara de pelo menos 16, mas 14 já é demais, não acham? Só o que me conforta é que daqui a alguns anos, será bom parecer mais nova.

Ps²: Agora preciso compartilhar uma situação (traumática, eu diria) que vivenciei hoje: estava eu, voltando pra casa, cansada, toda esculachada, com meu velho All Star preto pé-de-guerra, calça jeans não-justa, um casaco largado, cabelo todo bagunçado e em pé por causa do vento, com cara de cansada e 'de poucos amigos'; entrei no ônibus, tá. Depois saltei do mesmo ônibus. Segundos após este ato, me vem uma criatura bizarra do sexo masculino tentar me dar um beijinho no meio da rua! Que porra foi aquela?! o.O
Até agora tô assustada com a cara dele e com o fato dele ter quase se jogado em cima de mim pra - eca! - me dar um beijinho! Se não fosse por minha agilidade, reflexo e malemolência eu não teria escapado do ataque! *medo, muito medo!*
É, minha gente... Contando ninguém acredita. Essa é uma das coisas que só acontecem comigo.

Ps³: Mudei tudo no blog, acho que vocês repararam. Mas o que vocês acharam da nova aparência dele, gostaram? Opiniões sinceras, por favor. Se tiver muito ruim, eu troco, e aceito críticas para melhorá-lo.


Beijos


Mais selinho!

Ganhei este da Aninha. Obrigada! Lindo o selo! :)




Repasso-o para:

LP
Nadezhda
Camilla
Dama de Cinzas

domingo, 6 de julho de 2008

Mulher do Século XXI?

Inspirei-me no post da Dama de Cinzas para escrever sobre um assunto que eu adoro opinar e que eu já estava querendo escrever há mais tempo aqui no blog: submissão feminina.

Há mulheres que gostam de serem submissas, outras o são por fraqueza, dependência ou até necessidade. Não importa o motivo, o fato é que ser submissa não está no Manual da Mulher do Século XXI.

A mulher do século XXI é independente: trabalha, estuda, cuida dos filhos e, o mais importante, ainda tem tempo para cuidar dela mesma. Hoje em dia, grande parte das mulheres cria seus filhos sozinha, algumas até sem nenhum tipo de ajuda do (s) pai (s) das crianças. Isso sim é ser uma mulher de verdade!

A cada dia que passa, a mulher ocupa um espaço maior no mercado de trabalho, disputando e, muitas vezes, ultrapassando o homem. Então por que ela precisa ser submissa a este? Pra nada né, gente! Desculpem-me (não) as submissas, mas mulher submissa, pra mim, é sinônimo de mulher otária. Nos séculos passados, as mulheres precisavam ser submissas devido à cultura e à mentalidade da época, mas em pleno século XXI, qual a utilidade de ser assim? Nenhuma, a não ser sofrer. Uma mulher submissa é uma mulher sofredora. Alguma até acham que são felizes assim, mas no fundo sabem que não são. E o pior é que existem mulheres submissas desde muito jovens, não são só as mais velhas, que foram criadas em outra época e de outra maneira. Se só fossem estas, a gente até entendia, mas não são apenas elas. A situação é triste, muito triste.

Defesa e contra-defesa das mulheres submissas:

“Eu não sou submissa, só cuido bem do meu homem.”
Ok, cuide bem do seu homem. Mas para isso ele não precisa mandar e desmandar em você, e muitas vezes te maltratar e te destratar, querida.

“Eu sei que sou submissa, mas não consigo ser de outra maneira.”
Você deve gostar de ser assim e ainda não percebeu. Só o que posso te desejar é boa sorte e te indicar uma boa terapeuta.

“Não exagere, não sou tão submissa assim...”
Ah, é sim! Nem adianta dizer que não é, porque todo mundo já percebeu, menos você! Sabe como é, o corno é sempre o último a saber...

“Eu o amo demais, não consigo viver sem ele!”
Por um acaso, quando vocês ficaram um tempo separados por causa de uma briga feia você morreu? Ah tá... você só morre por causa de uma pessoa se você se matar, mas aí você seria maluca. E, como você não se matou, isso quer dizer que você vive sim sem ele. Lembre-se: ele é só um homem, não é a sua vida. Provavelmente, ainda passarão muitos outros por ela. A sua vida é só sua! Você pode compartilhá-la com um outro alguém, mas não substituí-la pelo mesmo.

“Fico com medo de não obedecê-lo e ele terminar comigo!”
Obedecer? Oi? Ele é seu dono por um acaso? Você não deixa nem seu pai mandar mais em você, por que tem que deixar um namorado/marido mandar?! Se você tem que medo que ele termine com você, é porque a relação de vocês está uma bosta (desculpe a grossa sinceridade). Não vale a pena ficar obedecendo ele e se privando de viver só para manter essa relação à beira de um colapso. Isso é gostar de sofrer, minha cara. Bem, tem gente que gosta né...

Tá, isso já virou uma sessão de auto-ajuda hahaha. Não foi a intenção, mas acabou virando. Espero que pelo menos abra os olhos de quem precisa desse banho de água fria e leia este blog. É sempre melhor enfrentar a realidade do que viver no mundo da fantasia inventada.

Alô, mulheres submissas: estamos no século XXI! O lema é “Ame, mas não dependa”. Depois de tudo o que nós, mulheres, já conseguimos conquistar ao longo de vários séculos, vocês querem regredir?! Muitas mulheres lutaram por tudo o que temos hoje, não é justo jogarmos fora o seu esforço. Além disso, nos séculos passados, muitas mulheres se faziam de submissas, fingiam obedecer seus maridos e não enxergar as sacanagens deles. Por trás, elas mandavam neles, deixando-os pensar que estavam no controle, e os traíam sem que ficassem sabendo. Temos que aprender muito com elas! Já com as mulheres que eram realmente submissas... com essas temos apenas que aprender a não sermos iguais. Errar uma vez é humano, mas duas vezes já é burrice.

A essa altura, já estão pensando que sou feminista. Explico: não sou feminista, apenas não acho justa a situação pela qual muitas mulheres ainda passam no nosso século. Não vivemos mais na Idade das Pedras para que os homens nos arrastem pelos cabelos.


Mais selinhos!
Dados pela Nathália






Repasso-os para:
Vinícius
Tiago
Fabíola


Dado pelo Vinícius




Repasso-o para:
Ariana
Aninha
Mariana

Obrigada a todos que me deram esses presentes! É muito bom ganhá-los e ver que as pessoas gostam do que você escreve! :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...